Início / Artigos / A leitura inspecional | Por Gabriel Carvalho

A leitura inspecional | Por Gabriel Carvalho

Dando sequência à nossa série de textos “Leia mais e melhor”, passaremos a analisar melhor os passos característicos de uma boa leitura, proposta pelos autores Mortimer Adler e Charles von Doren, em “Como ler livros: o guia clássico para a leitura inteligente”, editora É Realizações. Começaremos falando da leitura inspecional, que, como o nome diz, é mais semelhante a uma inspeção do que a uma leitura de fato. Mas veremos como ela é importante para o desenvolvimento de uma boa absorção de conhecimento em nossas leituras.

Em primeiro lugar, precisamos entender que há dois tipos de leitura inspecional: a pré-leitura, ou sondagem sistemática; e a leitura superficial. Na pré-leitura devemos descobrir se o livro exigirá uma leitura mais dedicada. Dedicar ao livro esse tipo de inspeção rápida é um processo que o ajudará a separar “o joio do trigo”. Talvez você conclua que a sondagem é o bastante e que não há nada mais no livro que lhe interesse no momento. Talvez nunca mais o leia, mas pelo menos você saberá qual o conteúdo do livro e o tipo de livro que o autor escreve, de maneira que o tempo dedicado à sondagem não terá sido em vão.

Essa sondagem sistemática é feita da seguinte forma: a) examine a folha de rosto e o prefácio: leia-os rapidamente. Em especial, procure notar os subtítulos e demais sinais que indiquem o escopo, o objetivo ou o ponto de vista específico que o autor porventura tenha sobre o assunto; b) examine o sumário: esse passo serve para conhecer a estrutura geral do livro. Use-o como se fosse o mapa de uma viagem. É impressionante como as pessoas raramente prestam atenção ao sumário, a não ser que procurem algo específico nele.

Com isso, devemos então: c) consultar o índice remissivo: a maioria das obras expositivas possui um. Dê uma olhada rápida nos tópicos cobertos e nos tipos de livros e autores citados. Quando deparar com termos e expressões que lhe pareçam cruciais, leia alguns dos trechos citados; d) Leia a contracapa e as orelhas: Muitas pessoas acham que a contracapa e as orelhas (caso o livro as tenha) não passam de autoelogios dispensáveis. Porém, não é sempre assim, sobretudo no caso de obras expositivas.

Por fim, você deve: e) examinar os capítulos que lhe pareçam centrais ao argumento do autor: Se esses capítulos contiverem pequenas sinopses em suas páginas iniciais ou finais, leia-as com atenção; f) folheie o livro: deter-se pontualmente em alguns parágrafos ou ler algumas páginas em sequência, mas nada além disso. Tente encontrar os trechos fundamentais; em outras palavras, procure medir a “pressão arterial” do livro. Você deve ainda ler as duas ou três páginas finais, ou o epílogo, caso o livro tenha um, bem como as páginas mais importantes do livro. Poucos autores resistem à tentação de reunir nessas páginas aquilo que julgam inovador e importante em suas obras. Normalmente ali está a tese do livro.

Esse primeiro momento da leitura inspecional é fundamental para um entendimento da proposta do livro como um todo. Ter essa noção nos fará chegar ao livro com muito mais informações, e, dessa forma, a leitura será muito mais produtiva. No próximo texto falaremos sobre outros aspectos da leitura inspecional. Até o próximo texto, Deus abençoe a sua vida!

Leia também

leia+blog1

Como posso ler mais e melhor | Por Gabriel Carvalho

Ler é uma das atitudes mais primitivas e fundamentais da história humana. É difícil imaginar …